Banner Home
Distribuidora Ribeiro
Mais uma mentira!

Aliado de Douglas Melo volta a espalhar fake news, desta vez, sobre Ocupação no Cidade de Deus

Deputado e Blogueirinho da Câmara Municipal são do mesmo partido (MDB).

03/07/2020 11h24Atualizado há 1 mês
Por: Redação

Já dizem os ditados que "o peixe morre pela boca" e "quem fala muito dá bom dia a cavalo". Em sua busca desenfreada por visibilidade a qualquer custo nas redes sociais, o ex-controlador da Câmara Municipal Gilmar Sousa Júnior - mais conhecido como "blogueirinho da Câmara" - não pára de espalhar fake news para ter holofotes de seus seguidores. 

Na manhã de ontem, dia 2 de julho, se aproveitando da situação precária na qual se encontram centenas de famílias que ocupam um terreno no bairro Cidade de Deus há cerca de 40 dias, o tal blogueirinho compartilhou um vídeo com informações falsas, sem checar a veracidade do compartilhamento, afirmando que a Secretaria Municipal de Assistência Social estaria obrigando os ocupantes a se retirarem do local para um abrigo e que o prefeito Duílio de Castro teria acionado o Conselho Tutelar para separar mães e filhos.

Como preza o bom jornalismo, a Folha de Sete Lagoas apurou e, devido à quantidade de informações inverídicas em quase dois minutos de imagens, é preciso enumerar e desmentir cada ponto:

1. Não houve proposta de abrigo, mas sim de duas escolas e um ginásio com infraestrutura como água, luz, saneamento, vestiários, quadra coberta, cozinha, etc.

2. Não houve sindicância, mas apenas a proposta de realocar as famílias para locais mais dignos, mesmo que ainda temporários.

3. O documento apresentado nas imagens (e disponível logo abaixo) não é cadastro nem sindicância. É tão somente uma comprovação da decisão do ocupante de não querer ir para nenhum dos locais sugeridos pelo Município.

4. O Conselho Tutelar age de forma independente do governo municipal, sendo eleito pela própria comunidade, e atuando a partir de denúncia de qualquer pessoa, sem a necessidade de coleta de dados antecipada do denunciado.

5. O prefeito não informou no dia 21 de junho de 2020 que o cadastro seria para abrigo nem que garantiria a titularidade de novas casas, mas sim que "daqui 15 dias vai começar a inscrição. Vocês assinando o contrato, na hora que começar a construir as casas, vocês já têm que ter um contrato assinado com a Caixa Econômica Federal, vocês já vão ser donos". Repare que, em momento algum, há promessa de nada, mas sim uma informação de que, para ser dono de um imóvel da Caixa, é preciso, antes, assinar o contrato, e que, para isso, antes ainda é preciso fazer um cadastro (e, obviamente, sabemos que apenas um cadastro não garante titularidade de um imóvel financiado pelo banco, que tem seus próprios critérios para conceder o benefício).

O fato é que o movimento ganhou cunho político nas últimas semanas, com pré-candidatos se aproveitando da situação para "fingir apoio", mas que de fato estão pensando apenas em votos, sem nada de concreto oferecerem ao movimento. Enquanto isso, as equipes da Assistência Social seguem monitorando e apoiando, dentro da legalidade, as famílias que, de fato, se encontram em situação de vulnerabilidade social, principalmente aquelas com crianças. 

Confira também a matéria com a equipe da Assistência Social e com a vereadora Gislene Inocêncio, que faz a interlocução entre o Município e os ocupantes.

https://www.youtube.com/watch?v=S92ApPniV2s

Acesse o link abaixo e assista o vídeo do Blogueirinho no Instagram:

https://youtu.be/yLVCVs431kM

Fábio Paiva, pré-candidato a vereador , é quem gerencia o perfil do Instagram @ocupa_CDD