Distribuidora Ribeiro
Banner Home
Mistério

Site 7 Lagoas Acontece, que publicava Fake News, sai misteriosamente do ar após decisão da Justiça

Página publicava vídeos do blogueiro Junior Sousa

14/09/2020 21h16Atualizado há 1 semana
Por: Redação

Criado em julho deste ano, o site Sete Lagoas Acontece vinha publicando diversas notícias falsas contra a Prefeitura de Sete Lagoas e também fazendo publicações sempre favoráveis ao deputado estadual Douglas Melo, com claros objetivos eleitorais. Porém, desde o fim de agosto, o site encontra-se desativado. O site foi criado em 10 de julho de 2020 e foi registrado junto ao Núcleo de Informação do Ponto BR – NIC.br (Órgão de Controle de Registros de Domínios.br) em nome de Maya Raimunda Marcela Drumond, conforme informado na Representação n.º 0600030-23.2020.6.13.0322, que também tramita na Justiça Eleitoral.

Continua depois da publicidade.

Das informações prestadas pelo Núcleo de Informação do Ponto BR (NIC.br) consta que o registro foi realizado com utilização do CPF n.º xxx.785.107-xx, e que Maya Raimunda Marcela Drumond reside na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, n.º 735 - Leme, na cidade do Rio de Janeiro. Mas, em consulta realizada junto à Receita Federal, consta que o número do CPF informado pertence a Oseias Pereira de Magalhães. 

Uma série de dúvidas paira acerca de quem é o real proprietário do domínio Sete Lagoas Acontece (www.7lagoasacontece.com.br) e por qual motivo ele foi criado. Ainda que se tenha registrado o domínio com utilização de CPF de outra pessoa, o número informado como sendo o de telefone de contato é (31) 9xxxx-9445. Ou seja, o suposto proprietário do site www.7lagoascontece.com.br informou ao NIC.br que é usuário de número de telefone com código de área (31), código utilizado no Estado de Minas Gerais, mas o registrante informou residir no Estado do Rio de Janeiro.

Segundo informações, Sete Lagoas pode estar diante do primeiro caso concreto de Fake News, criada com utilização de CPF de pessoa desconhecida para publicação e disseminação de notícias falsas como se fossem informações reais. Além do crime de divulgação de Fake News, o autor também pode incorrer em outro crime: uso indevido de documento de terceiros. Alguns produtores de Fake News compram ilegalmente os endereços de e-mail e números de telefone celular de milhões de pessoas para “disparar” o conteúdo falso, se utilizam até mesmo de perfis de grande alcance para realização do seu intento.

Em uma das representações também foi requerida a identificação de diversos usuários de perfis falsos (Facebook e Instagram) que interagem com a referida página e com outras pessoas para dar tom de veracidade ao falso conteúdo noticioso. Os responsáveis pelas informações virais compram domínios de páginas e adotam uma identidade visual semelhante à do alvo (partido político, por exemplo), começam com publicações por vezes verdadeiras e, assim, atraem seu público. Por sua vez, os perfis criados têm a função de divulgar as notícias e vídeos, com aparência de notícias jornalísticas, incentivando seus contatos a fazerem o mesmo.

No início do mês, tanto a página/site Sete Lagoas Acontece quanto o jornal Notícia foram obrigados pela Justiça a se retratarem após publicação caluniosa contra uma advogada. A matéria gerou, inclusive, Nota de Repúdio da OAB - Subseção Sete Lagoas. Diante da decisão liminar, o site saiu misteriosamente do ar, enquanto a página do Facebook permanece sem atualizações desde o dia 3 de setembro. Na semana passada, o jornal Notícia publicou a retratação.

O caso deve ganhar ainda mais repercussão nos próximos dias dado ao envolvimento de gigantes da internet como Facebook e Yahoo, que deverão apresentar os dados do administrador da página 7lagoasacontece no Facebook (facebook.com/7lagoasacontece), que ainda está no ar, porém, sem atualizações desde o dia 3 de setembro, e do endereço de e-mail [email protected], além do envolvimento da Receita Federal, que deverá confirmar os dados da pessoa inscrita no referido CPF, e também da intervenção do Ministério Público Eleitoral para a apuração da prática de crimes previstos na legislação.  

Outro detalhe é que foi requerido ao provedor HOSTGATOR BRASIL para que informe o endereço IP para identificação do computador utilizado para registro do domínio www.7lagoasacontece.com.br. Desde que o site saiu do ar, a página do Facebook passou a postar notícias sem link, na íntegra. 

Um dos maiores disseminadores do conteúdo da página fake, inscrita com um CPF também fake, é o blogueiro Júnior Sousa, conhecido como "blogueirinho da Câmara".

Página publicava vídeos de Junior Sousa

Em seu perfil, por diversas vezes Sousa compartilhou matérias caluniosas e fake news oriundas do site www.7lagoasacontece.com.br e do Facebook, a ponto de o próprio Facebook sugerir a página "Júnior Sousa Informa" a quem segue a página "7lagoasacontece". A página, inclusive, chegou também a publicar vídeo de Júnior Sousa, sugerindo alguma relação entre ambos, algo também a ser investigado.

Junior Sousa repercutia fake news publicados pela página