Distribuidora Ribeiro
Banner Home
Ação trabalhista

Carlos César volta a acionar Galo na Justiça; lateral cobra mais de R$ 320 mil

Está é a segunda ação trabalhista do jogador contra o Atlético, clube cujo o qual possuiu vínculo por oito anos

24/09/2020 12h25
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

O lateral-direito Carlos César voltou a acionar o Atlético na Justiça do Trabalho. Na ação, ajuizada nessa quarta-feira (23) na 32ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, o jogador, de 33 anos, que atualmente defende o Criciúma, pede R$ 320.364,16. Ele teve vínculo com o Galo entre 2011 e 2019.

Na ação, o jogador pede:

- Pagamento de adicional noturno de 20% no valor de R$ 9.810,21, com os reflexos no contrato de trabalho, tais como, 13º salário, ferias acrescidas do terc¸o constitucional, FGTS, DSR ´s.

- Hora noturna reduzida no valor de R$ 7.357,65, com os reflexos no contrato de trabalho, tais como, 13º salário, ferias acrescidas do terc¸o constitucional, FGTS, DSR´s.

- Descanso remunerado pelas semanas nas quais não houve concessão de folga, bem como pelos trabalhos realizados nos feriados em dobro em dobro, no valor de R$ 303.196,30.

Em oito anos como jogador do Atlético, Carlos César entrou em campo 101 vezes e marcou 5 gols. Sempre como coadjuvante, foi campeão da Copa Libertadores de 2013 e conquistou quatro campeonatos mineiros.

Condenação 

Em outra ação, o Atlético foi condenado a pagar R$ 400 mil ao jogador. A decisão é de 15 de junho deste ano e ainda cabia recurso para o clube alvinegro.

Conforme a decisão, o Atlético terá que pagar férias simples relativas aos períodos aquisitivos 2015/2016, 2016/2017, 2017/2018, com o terço constitucional; três dias de saldo de salários, diferenças de gratificações natalinas e férias com o terço, decorrentes da integração das premiações apontadas pelo autor, identificadas nas fichas financeiras como “bicho”, “premiação" e “gratificação”, relativas aos anos 2015, 2016 e 2017, limitadas a 10/11/2017, conforme se apurar em liquidação, a ser realizada com base nos contracheques e fichas financeiras constantes dos autos;  e valores devidos a título de FGTS.