Ramses de castro
Direito resguardado

Fifa aprovará licença maternidade para jogadoras; medida protege rescisões de contratos

Regra vai valer para jogadoras, treinadoras e membros da comissão técnica

20/11/2020 08h46
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

A Fifa está pronta para aprovar a criação de uma licença maternidade obrigatória para os clubes de futebol feminino. Com isso, as jogadoras estarão protegidas contra possíveis rescisões de contrato por terem engravidado.

As atletas terão o direito de 14 semanas de licença maternidade, com pelo menos dois terços do salário garantido. A regra vai valer para jogadoras, treinadoras e membros da comissão técnica.

Os times que rescindirem o vínculo com alguma atleta durante o período da gravidez precisará pagar uma multa. Além disso, podem ser impossibilitados de contratar novas jogadoras por um ano.

A federação deverá aprovar as novas medidas no próximo encontro do seu conselho, que está agendado para o mês de dezembro. As regras entrarão em vigor a partir de 1º de janeiro de 2021.

"No retorno ao campo, os clubes devem reintegrar as jogadoras e fornecer suporte médico adequado. Nenhuma atleta deve sofrer desvantagens devido à gravidez, garantindo assim maior proteção ocupacional para as mulheres no futebol", explicou a Fifa.