Principal 5
Principal 3
Principal 2
novo super
Principal 1
Principal 4
Novo Sete
Sete Lagoas
Anuncio ramises
Principal 6
mais uma conquista

Gols totalmente estrangeiros e convicção em campo: Atlético conquista um grande resultado ao vencer o Fortaleza no CE por 2 a 0

Matías Zaracho fez o primeiro

13/09/2021 11h12
Por: Ricardo Chaves

Por EM

Para ser líder e se consolidar na primeira colocação de um campeonato de pontos corridos, um time precisa de muita convicção em campo. Qualquer equipe que deseja se manter em alto nível deve ter confiança nas suas atuações. E o Atlético mostrou isso novamente. Com muita convicção do que estava sendo feito, o Galo correu poucos riscos na partida, passou mais um jogo sem ser vazado e conquistou um grande resultado ao vencer o Fortaleza no CE. E como o placar de 2 a 0 foi construído? Um passe de um chileno para um argentino marcar, e cruzamento de um argentino para um paraguaio cabecear ¡Viva el Mineiro!

Neste domingo, 12 de setembro, o Atlético enfrentou o Fortaleza no estádio Castelão, em Ceará, e venceu o rival por 2 a 0. Os gols foram marcados por Junior Alonso e Matías Zaracho. E devido à vitória nesta 20ª rodada do Brasileirão, um ponto deve ser destacado. O Galo perdeu apenas um jogo como mandante que foi contra o Fortaleza, mas conseguiu vingar a derrota do primeiro turno com uma vitória contra o, até então, invicto em casa: foi o primeiro revés do Leão do Pici no CE neste Brasileirão.

Com o resultado, o Atlético voltou a vencer depois de dois empates no Brasileirão e a abrir uma vantagem para o segundo colocado. Em primeiro, com 42 pontos em 19 jogos, o Galo vê o Palmeiras sete pontos atrás, com apenas 35 tentos – os times possuem o mesmo número de partidas. A grande questão é que o Flamengo assumiu a terceira posição depois de vencer o Verdão e chegou aos 34 pontos, ficando oito tentos atrás do time de Cuca e com 17 jogos, ou seja, o clube carioca pode vencer os dois jogos que tem menos e ficar dois pontos atrás do Atlético. São possibilidades e o atleticano deve entender que a vantagem é muito boa, mas ainda há muito campeonato pela frente. Já o Fortaleza parou nos 33 pontos e está em quarto.

O jogo e as atuações individuais

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra convicção significa o efeito de convencer; uma certeza adquirida por demonstração. O Atlético está vencendo e convencendo. O Galo está demonstrando um bom nível de futebol e há uma certeza: o time de Cuca tende a brigar pelas três competições. É necessário ressaltar que o primeiro tempo foi bem equilibrado e que o Fortaleza foi um pouco melhor, porém, mesmo assim, o clube alvinegro não correu riscos, apresentou uma construção de jogo consistente e melhorou bastante na etapa final.

Certamente, a comissão técnica detalhou alguns pontos da marcação do Fortaleza durante o intervalo, visto que o time atleticano retornou à segunda etapa de uma forma completamente diferente, aproveitou brechas dadas pelo adversário, principalmente pelo lado direito de ataque do Galo, e fez o seu resultado. Uma vitória que não seria fácil pelo nível técnico do adversário, uma das sensações deste Brasileirão. No entanto, um triunfo que foi conquistado de forma merecida e com muita certeza. Convicção de um time que está pronto para feitos maiores.

Além dos estrangeiros que participaram efetivamente dos gols do Galo – Vargas deu assistência para Zaracho no primeiro gol e Nacho colocou a bola na cabeça de Alonso no segundo -, o Atlético teve outros destaques. Nathan Silva novamente fez um bom jogo e, junto com todo o setor defensivo, realizou uma grande partida na marcação e na saída de jogo – Allan e Jair foram peças fundamentais desta saída, visto que o Fortaleza pressionou bastante. O ponto negativo atleticano, mesmo participando do primeiro gol, foi Hulk: o artilheiro não estava mal, mas não foi tão brilhante quanto nas últimas rodadas e foi, corretamente, substituído no fim do jogo. Em resumo, uma grande atuação de um grande time.

Fortaleza x Atlético

Sem contar com Savarino, titular na última partida, o técnico Cuca optou por uma mudança na formação. Jair retornou de lesão e foi escolhido, modificando o esquema para o 4-4-2 – esta ideia de ter quatro meio-campistas foi utilizada nos jogos frente ao River Plate, por exemplo. Mas esta única mudança no Atlético deixou Diego Costa apenas como opção do banco. Logo, o Galo entrou em campo com Everson, Mariano, Nathan Silva, Alonso e Arana; Allan, Jair, Zaracho e Nacho Fernández; Vargas e Hulk.

O primeiro tempo

Desde o apito inicial, os primeiros 45 minutos foram bem equilibrados, com muito estudo e poucas finalizações corretas – apenas três. Aos 7, a primeira finalização do jogo saiu dos pés de Lucas Lima: Yago Pikachu fez o cruzamento e o camisa 25 do Fortaleza finalizou em duas oportunidades, mas a bola bateu em Zaracho em ambas as vezes. Lucas Lima até pediu pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

O Galo chegou pela primeira vez aos 12, em arremate de longe e sem direção de Allan, todavia foi entre o minuto 14 e 15 que os times tiveram as melhores chances da primeira etapa. Aos 14, Lucas Crispim cobrou uma falta próxima ao gol no canto do goleiro, com muito perigo, visto que a bola quicou, e Everson espalmou para a linha de fundo. No minuto seguinte, Jair fez um lindo lançamento para Vargas e o chileno invadiu a área do Leão, driblou Benevenuto e bateu de esquerda. Porém, o chute do camisa 10 do Galo foi travado por Titi e balançou as redes pelo lado de fora.

Depois das boas chegadas, o jogo esfriou um pouco: aos 20, Robson arriscou e isolou e, no minuto 22, foi a vez de Vargas bater para fora. O Galo chegou novamente aos 33, em boa triangulação pela esquerda, onde Arana cruzou e Hulk teve a chance, contudo furou.

Já o time mandante levou mais perigo nos minutos finais. Aos 34, Jair saiu errado, Lucas Lima aproveitou e lançou Robson dentro da área. Pela esquerda, o camisa 7 do Fortaleza ajeitou para David e o atacante tentou de letra, mas não pegou em cheio e foi abafado por Everson. Assim como no lance anterior, o goleiro do Galo encaixou a tentativa de Lucas Crispim no minuto 37. No entanto, aos 47, Crispim tocou para Lucas Lima e o meia cruzou para a área. Desta vez, Everson foi mal e rebateu, mas Robson não aproveitou o rebote e a bola foi para fora, dando números finais ao primeiro tempo sem gols.

O segundo tempo: O Galo decidiu jogar

O Atlético passou a primeira etapa sem acertar o gol adversário pela primeira vez no Brasileirão, segundo informações da Opta. Com uma postura diferente, o time finalizou corretamente logo no início dos 45 minutos finais e marcou o primeiro gol. Aos 3, Mariano encontrou Nacho no meio e o argentino abriu para Hulk na ponta direita. O artilheiro atleticano gingou, passou pela marcação e cruzou muito bem, encontrando Vargas no meio da área. O chileno dominou, hesitou para finalizar e encontrou Zaracho em ótima posição, dentro da pequena área. O argentino chutou de primeira e balançou as redes de Felipe Alves. Uma finalização certa do Atlético, gol de Zaracho: 1 a 0 para o Galo no Castelão.

Dominando a segunda etapa, o Atlético chegou mais algumas vezes e aumentou a vantagem. Aos 10, Hulk recebeu um bom passe de Jair e viu Vargas passar pela direita, em ótimas condições, mas optou por bater. O camisa 7 estava dentro da meia-lua e arriscou com a chapa do pé, obrigando Felipe Alves a fazer uma boa defesa. O Galo seguiu atacando e conseguiu um escanteio pela direita no minuto 23. Nacho Fernández fez a cobrança e colocou a bola na cabeça de Junior Alonso: o capitão estava na primeira trave e cabeceou forte, sem chances para Felipe Alves. Um belo cabeceio para ampliar o placar. Gol de Alonso: 2 a 0 para o Atlético.

Com a vantagem, o time mineiro fez algumas mudanças. O técnico Cuca já havia colocado, antes mesmo do segundo gol, aos 16, Diego Costa e Réver nas vagas de Vargas e Jair, respectivamente. No minuto 39, Nacho e Hulk saíram para as entradas de Keno e Nathan. No fim, aos 44, Guga substituiu Mariano.

Minutos finais sem muitas chances

O restante do jogo, já com a vantagem no placar, foi bem sem graça e sem grandes chances. Aos 28, Diego Costa mostrou muita raça e o Atlético chegou. O camisa 19 roubou a bola, Nacho devolveu para o atacante, que abriu rapidamente para Hulk e o artilheiro tocou para Arana. O lateral atleticano bateu forte e Felipe Alves espalmou. No rebote, Diego Costa ainda recuperou a bola e Arana cruzou, mas Mariano errou a direção do gol.

O Fortaleza não conseguiu chegar com perigo e Everson não trabalhou. A única defesa do arqueiro na segunda etapa aconteceu aos 31, quando Matheus Vargas arriscou de fora e, em dois tempos, o goleiro do Galo fez a defesa. Dois minutos depois, Ederson bateu e foi travado por Réver. No rebote, Lucas Crispim chutou e a bola foi para fora.

Nos minutos finais, já com o resultado decidido, o Atlético chegou novamente. Aos 45, Nathan tocou para Keno e o camisa 11 do Galo tentou, mas o chute foi ruim e subiu. Cinco minutos depois, no último lance da partida, Arana foi lançado e o lateral tocou para trás, aproveitando a chegada de Nathan. O meio-campista bateu de canhota e não acertou o alvo, dando números finais à partida vencida pelo Atlético.

O time mineiro volta a campo na próxima quarta-feira, 15, às 19 horas, contra o Fluminense, pela Copa do Brasil.