unifem novo
Principal 3
Principal 6
Principal 5
Principal 1
banner topo
unifem 1
Principal 2
Principal 4
outubro rosa
Anuncio ramises
novo super
Matemática celeste

Cruzeiro: empates 'freiam' arrancada e distância para o G4 só diminui dois pontos com Luxa

Na estreia do treinador, na 16ª rodada, diferença para quarto colocado era de 13 pontos; agora são 11

17/09/2021 08h58
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

O Cruzeiro segue fazendo contas para sonhar com o acesso à Série A ao final do Brasileirão. E apesar da invencibilidade de 11 jogos e do bom aproveitamento com o técnico Vanderlei Luxemburgo, a distância para o tão desejado G-4 diminuiu muito pouco nas últimas rodadas.

Até a 15ª rodada, última com o técnico Mozart, a diferença para o quarto colocado, o Avaí, era de 13 pontos: o Cruzeiro tinha 13, na 18ª colocação e o time catarinense já somava 26. Na partida seguinte, Luxemburgo estreou com vitória sobre o Brusque, fazendo a distância diminuir para 11. A Raposa tinha 16 pontos e o Goiás, no quarto lugar, tinha 27 pontos.

Desde então, o Cruzeiro somou mais 14 pontos e subiu para a 12ª colocação, mas a diferença para a zona de acesso à Série A segue a mesma: 11 pontos. O CRB empatou com o Vasco, nesta quinta-feira (16) e está em quarto lugar na tabela, com 41 pontos, enquanto o time celeste tem 30.

POR QUE A ARRANCADA É TÃO DIFÍCIL?

O Cruzeiro é sob o comando de Luxemburgo um time muito mais competitivo, seguro defensivamente e mais eficiente no ataque. Entretanto, algo segue dificultando a missão de volta à elite do futebol: o número excessivo de empates.

A Raposa é quem mais empatou na Série B: 12 vezes, sendo cinco deles com o Luxemburgo. Em nove jogos com Vanderlei, foram quatro vitórias e outros cinco jogos em que o time somou apenas um ponto, o que não é "bom negócio".

O Cruzeiro tirou pontos de times da parte de cima da tabela, como CRB e Goiás, adversários com quem empatou fora de casa, mas não consegue emplacar uma série de vitórias contra times que estão na parte intermediária da tabela. O último tropeço foi contra o Operário: empate por 1 a 1, em Sete Lagoas, em jogo marcado por polêmicas com o VAR, que chamou atenção do árbitro para uma falta de Brock dentro da área celeste, e consequentemente a marcação do pênalti para os paranaenses, e a anulação do que seria o gol da vitória da Raposa no último minuto.

Sendo assim, o Cruzeiro precisa urgentemente voltar a somar três pontos para seguir com chances de acesso, mesmo que a tarefa seja muito difícil. A próxima oportunidade será domingo (19), contra o Vasco, no Rio de Janeiro.