Principal 1
Principal 6
Principal 2
Principal 4
outubro rosa
novo super
banner topo
Principal 5
unifem novo
Anuncio ramises
unifem 1
Principal 3
ALMG

Sargento Rodrigues acusa Governo de Minas de desviar repasse do Instituto de Previdência dos Servidores Militares

Uma audiência pública foi marcada para a próxima sexta para cobrar do Governo do Estado explicações sobre os repasses

28/09/2021 10h06
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Os deputados de Minas Gerais marcaram para a próxima sexta-feira (01), às 9h30, uma audiência pública na Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa para cobrar do Governo do Estado explicações sobre o repasse de recursos para o Instituto de Previdência dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais (IPSM), associação que é responsável pelo pagamento de aposentadorias e pensões e também pela assistência médica para policiais militares, bombeiros ativos e inativos e dependentes. 

Segundo o presidente da Comissão de Segurança Pública, o deputado Sargento Rodrigues (PTB), desde março do ano passado o Estado vem atrasando o repasse da contribuição patronal ao IPSM. De acordo com o parlamentar, o montante atrasado chega a mais de dois bilhões de reais 

“O governo Romeu Zema vem desviando para o caixa único do Estado os repasses das obrigações patronais e isso tem um reflexo enorme na vida cotidiana de policiais e bombeiros militares do interior, porque a medida que esse dinheiro não chega no caixa o Instituto de Previdência dos Servidores de Minas Gerais, o IPSM, não consegue contratar médicos, dentistas, laboratórios e fazer convênios para o tratamento da saúde dos militares e dos seus dependentes, ou seja, seus familiares. Por isso, nós estamos convocando os dois secretários de estado para vim prestar as informações sobre o desvio desses recursos e qual a forma que o Estado pretende resolver essa questão. A audiência já está marcada”, explicou. 

Sargento Rodrigues afirmou ainda que o atraso no repasse não se justifica. “Informações que eu acabei de colher agora do deputado, professor Cleiton, informação do Sindafisco é que o Estado hoje tem 40 bilhões em caixa. Então a gente não entende, porque que o governo Romeu Zema não repassa as obrigações patronais ao IPSM e também não faz a recomposição das perdas inflacionárias da segurança. Por isso, nós vamos realizar audiência pública para tratar dos desvios criminosos do IPSM, sexta-feira próxima, primeiro de outubro”, garantiu.