Principal 1
Anuncio ramises
novo super
Principal 2
Principal 5
Principal 6
Principal 4
Principal 3
ALUNOS

Minas Gerais divulga calendário escolar de 2022 e prevê início das aulas para 7 de fevereiro

O término do próximo ano letivo está previsto para o dia 16 dezembro

19/11/2021 09h00
Por: Redação

Por Itasat

O governo de Minas Gerais divulgou nesta quinta-feira (18), o calendário escolar para o próximo ano letivo na rede estadual de ensino. De acordo com a informação publicada no Diário Oficial do estado, as aulas da rede estadual irão começar no dia 7 de fevereiro de 2022.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação (SEE), o calendário prevê ainda que os professores iniciem as atividades um pouco antes dos alunos. No dia 1º de fevereiro, os docentes começam o planejamento e preparação das aulas.

A partir da divulgação do cronograma, as escolas devem organizar suas atividades administrativas e pedagógicas fundamentais para o bom funcionamento do ano letivo de 2022. O calendário escolar deve ser organizado de forma a garantir o mínimo de 200 dias letivos e a carga horária anual prevista para os diferentes níveis e modalidades de ensino.

O término do próximo ano letivo está previsto para o dia 16 dezembro.

"A publicação do documento antes de terminar o atual ano letivo é muito importante para que as escolas estaduais façam suas previsões e organizações. Além disso, a resolução prevê a quantidade de dias escolares entre o encerramento do semestre e o recesso, importante para que as unidades de ensino tenham tempo para organizar o encerramento das turmas semestrais de Educação de Jovens e Adultos (EJA), dos cursos técnicos e normal de nível médio, além de preparar o início do próximo semestre letivo", informou a SEE.

Também nesta edição do Diário Oficial, foram divulgados procedimentos de ensino, além de diretrizes administrativas e pedagógicas para o próximo ano.

O retorno às aulas presenciais passou a ser obrigatório no último dia 03 de novembro em redes públicas e privadas de ensino de todo o estado mineiro. No entanto, o retorno presencial das crianças e adolescentes tem exceção a estudantes com condição de saúde de maior fragilidade à covid-19, comprovada com prescrição médica para permanecer em atividades remotas.