Evite Queimadas!
Arnaldo Radiadores
Helton Vidro Car
Auto Rodas
Forte Vidros
IPTU PRORROGADO
Digital Graph
Ronaldo Cardans
Ramses
Cartão de Todos
Motociclista use capacete
Torneamento São Geraldo
Escritório Jucema
Quality Ópticas
Sicoob
Homeopatia São Lucas
Chama!!!
Casa da Arte
Breno Campolina
Cooperlíder Proteção Veicular
Locmaqfer
Ótima
Otica Santa Luzia
Almix
Dinheiro por Jóias
Loctem
Ótica Pontual
Dúvida

Aulas presenciais na UFMG podem ser adiadas devido a aumento de casos da covid-19

Previsão é que os alunos voltem as salas de aula no dia 26 de março, para o ano letivo de 2022

17/01/2022 09h27
Por: Redação

Por Itasat

A volta ou não das aulas presenciais na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2022 vai depender do cenário da pandemia da covid-19 nas próximas semanas. A previsão é que os alunos retornem às salas de aula assim que iniciar o primeiro semestre estudantil, no dia 26 de março. Mas, com o avanço do número de infectados no Estado pelo coronavírus, ainda não é possível garantir essa volta.

A reitora da UFMG, Sandra Goulart, explica como deve ser a avaliação da volta às aulas. “Por enquanto nós estamos com a expectativa do que vai acontecer. Temos uma determinação que as aulas vão retomar no primeiro semestre de 2022. E que elas possam ocorrer amplamente de modo presencial. Isso está relacionado também com a decisão do Conselho Nacional de Educação, que permite esse modelo híbrido remoto apenas até o final do segundo semestre de 2021. Então a nossa decisão é de retomar”. 

Em seguida, a reitora da UFMG revelou que pode ocorrer um adiamento, caso os números de infecções da covid-19 continuem aumentando nas cidades onde ocorrem aulas presenciais. “Tudo isso depende do que vai acontecer daqui até lá né? Então, 26 de março é o nosso prazo. Nós estamos avaliando com muito cuidado, claro, as questões epidemiológicas de Belo Horizonte e Montes Claros. E nós temos o nosso próprio comitê permanente de enfrentamento ao novo coronavírus, que avalia as condições nesse sentido. Caso haja algum aumento de casos que realmente impeça esse retorno, nós vamos oferecer as disciplinas de forma remota”.

Momento diferente

Sandra Goulart destacou que a vacinação de quase 70% da população brasileira contribuiu para um quadro diferente do que era há um ano. “A gente tem que lembrar que o momento de hoje é diferente do momento do ano passado quando nós não tínhamos vacina ou de dois anos atrás, né? Hoje, a comunidade está vacinada e nós sabemos que esse vírus estará conosco de forma endêmica por algum tempo, e nós temos que aprender a conviver com ele de forma segura.

Segurança

A UFMG vai seguir critérios de segurança para evitar a disseminação da covid-19 entre os alunos e professores. “Nós precisamos manter alguns critérios que são muito importantes. Obrigatório o uso de máscara. Importante a vacinação ampla. É muito importante também que os espaços sejam arejados, ocorra distanciamento e nenhuma aglomeração. Isso é algo que nós temos é que cuidar qualquer que seja a situação, independente se voltarmos em março ou não”, explicou a reitora.

Volta 100%

“A expectativa é que a gente tenha esse presencial. E que a gente realmente atenda essa demanda. Claro que nós temos questões de espaço, que nós estamos estudando. Nós não podemos mais colocar uma turma de 100 pessoas no mesmo espaço com ar condicionado. Então algumas adequações terão que ser feitas. Agora, nós aprendemos muito durante essa pandemia, que nos ensinou outras formas ensino aprendizagem. Então é isso que nós estamos discutindo também”, finalizou a reitora da UFMG, Sandra Goulart.