Dinheiro por Jóias
Helton Vidro Car
Arnaldo Radiadores
Ótima
Breno Campolina
Casa da Arte
Homeopatia São Lucas
Cooperlíder Proteção Veicular
Quality Ópticas
Ramses
Ótica Pontual
Motociclista use capacete
Digital Graph
IPTU PRORROGADO
Cartão de Todos
Ronaldo Cardans
Auto Rodas
Almix
Sicoob
Forte Vidros
Otica Santa Luzia
Chama!!!
Torneamento São Geraldo
Loctem
Locmaqfer
Escritório Jucema
Evite Queimadas!
troca no ministério

Bolsonaro exonera Rodrigo Cruz, secretário executivo do Ministério da Saúde

Pedido veio do próprio secretário nessa quarta-feira (11); Daniel Meirelles assessor especial do Ministério da Saúde assume o cargo

11/05/2022 11h15
Por: Redação

Por Itasat

O presidente Jair Bolsonaro (PL) exonerou, a pedido, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Otávio da Cruz, nessa quarta-feira (11). Assume o posto Daniel Meirelles Fernandes Pereira, que ocupava o cargo de assessor especial na pasta, atuando próximo ao ministro Marcelo Queiroga. A troca no comando foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) dessa quarta (11).

O novo secretário é graduado em direito e é especialista em regulação de saúde suplementar. A posição é considerada a "número 2" da pasta e tem papel estratégico nas tomadas de decisão na Saúde Daniel Pereira também foi diretor-adjunto da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e chegou a ser indicado por Bolsonaro e aprovado no Senado para assumir uma de direção na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em abril deste ano. Na ocasião, a Associação de Servidores da Anvisa (Univisa) emitiu nota contra o nome dele.

"A forma da indicação - junto a dezenas de nomes para mandatos estáveis que perdurarão durante vários anos do próximo Governo - aliada ao momento pré-eleitoral, pode indicar negociações políticas que colocam a Anvisa como moeda de troca para interesses partidários", escreveu a associação.

Pereira esteve envolvido no caso da contratação de Isabela Oassé de Moraes Ancora Braga Netto, para cargo de gerente da ANS. Filha do ex-ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, ela foi indicada à vaga comissionada por Pereira, quando ele ocupava função na agência. Ele é irmão, porém, de Thiago Meirelles Fernandes Pereira, que atuava como um dos principais auxiliares de Braga Netto.

Rodrigo Cruz assumiu o cargo por indicação do ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas em março de 2021. Ele foi responsável por operações como o transporte de máscaras da China e o transporte de medicamentos.

Cruz é servidor público da carreira de Analista de Infraestrutura e é mestre e doutor em Engenharia de Transportes pela Universidade de Brasília (UnB). Como mostrou o Estadão, ele havia assumido a pasta em um movimento do governo de trocar militares que ocupavam cargos em secretarias estratégicas na gestão da pandemia.

Antes de Cruz, o coronel Antônio Élcio Franco Filho ocupou o cargo. Ele foi um dos indiciados pela CPI da Covid após prestar esclarecimentos aos senadores sobre suas ações nas compras e abastecimento de insumos para os Estados durante a crise sanitária.