Loctem
Locmaqfer
Otica Santa Luzia
Motociclista use capacete
Ramses
Auto Rodas
Almix
Sicoob
IPTU PRORROGADO
Escritório Jucema
Ótica Pontual
Evite Queimadas!
Ronaldo Cardans
Forte Vidros
Cartão de Todos
Homeopatia São Lucas
Dinheiro por Jóias
Cooperlíder Proteção Veicular
Quality Ópticas
Breno Campolina
Digital Graph
Torneamento São Geraldo
Helton Vidro Car
Casa da Arte
Chama!!!
Ótima
Arnaldo Radiadores
disparada

Diesel dobra de valor nos últimos quatro anos, aponta Dieese

Último reajuste foi alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro, que afirmou que "a Petrobras não pode quebrar o Brasil"

11/05/2022 12h24
Por: Redação

Por Itasat

O preço cobrado pelo litro do diesel subiu 96% em quatro anos no Brasil, segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A partir desta terça-feira (10), a Petrobras reajustou o valor em 8,87%, saindo de R$ 4,51 para R$ 4,91 após 60 dias sem alterações.

Na quinta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro (PL) fez duras críticas ao comando da estatal, e classificou o reajuste como "abuso", "absurdo" e "estupro". Segundo o presidente, "a Petrobras não pode quebrar o Brasil".

O diesel é um dos combustíveis mais importantes na cadeia econômica do país, apesar de não ter alterações diretamente percebidas pela população. Como a maioria dos veículos são abastecidos com etanol ou gasolina, são esses produtos que mais assustam o motorista em caso de reajuste.

Por outro lado, o diesel é usado em veículos de grande porte, como ônibus e caminhões. O último, inclusive, é o maior responsável pelo transporte de insumos no país, tendo em vista a malha rodoviária em território brasileiro. A longo prazo, porém, os gastos que o produtor absorve com o aumento são repassados no valor do produto transportado, e só assim a diferença é sentida no bolso da população.

A Petrobras afirmou que o reajuste de preço aconteceu por conta de uma redução da oferta em relação à demanda global. Vale lembrar que, apesar de o Brasil ser explorador de petróleo, o preço é baseado no mercado internacional, ou seja, em dólar.