RR MÍDIA 3
Patente
Chama!!!
Giro Luvas
RR 2023 02
Câmara dos Dep...

Após socorro emergencial, turismo será instrumento de reconstrução do Rio Grande do Sul, diz ministro

Celso Sabino apresentou planos para restabelecer viagens aéreas para o RS e números da retomada do turismo em geral no Brasil

15/05/2024 19h45
Por: Redação
Fonte: Agência Câmara
Vinicius Loures / Câmara dos Deputados
Vinicius Loures / Câmara dos Deputados

O ministro do Turismo, Celso Sabino, afirmou nesta quarta-feira (15) que o setor será fundamental para a reconstrução econômica do Rio Grande do Sul após o socorro emergencial às vítimas das inundações.

Em audiência na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, Sabino citou uma série ações da pasta em apoio aos empreendedores turísticos gaúchos, como a liberação de R$ 100 milhões do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para reformas, capital de giro e equipamentos.

O ministro disse ainda que todas as emendas parlamentares destinando recursos para obras no estado já estão pagas. E lembrou o lançamento da campanha “Não cancele, reagende”, para manter a perspectiva de retomada de visitação ao estado após a superação da tragédia.

Aeroportos
Segundo Sabino, outra ação está sendo desenvolvida em parceria com o Ministério de Portos e Aeroportos para restabelecer a conexão aérea no Rio Grande do Sul, diante da interdição do aeroporto Salgado Filho.

“O governo federal tem atuado para operar em aeroportos alternativos e já estamos chegando a praticamente 20% da oferta de assentos que havia antes dos eventos. Pretendemos chegar a 50% até o fim deste mês", comemorou o ministro. Para isso, outros aeroportos regionais estão tendo a frequência ampliada.

Sabino destacou ainda a operação de guerra na Base Aérea de Canoas para receber mantimentos, distribuir medicamentos e fazer o salvamento de pessoas. "Nós vamos transformar momentaneamente a Base Aérea de Canoas em um aeroporto comercial”, avisou.

Celso Sabino explicou que um shopping próximo vai servir de suporte para o check-in de passageiros, que serão transportados de ônibus até a pista da Base Aérea de Canoas para voos das três principais companhias aéreas do país.

Os aeroportos regionais de Canela e de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, também deverão ter a operação ampliada.

O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, confirmou que o Rio Grande do Sul vai merecer tratamento especial pós-tragédia e estará em destaque no Salão Nacional do Turismo, previsto para agosto, no Rio de Janeiro.

Vinicius Loures / Câmara dos Deputados
Deputado Paulo Litro fala ao microfone
Paulo Litro lembrou a quantidade de turistas estrangeiros que visitam o Rio Grande do Sul

Importância do turismo
O presidente da Comissão de Turismo, deputado Paulo Litro (PSD-PR), elogiou as iniciativas do governo. “Obviamente que, em um primeiro momento, é buscar restabelecer serviços básicos, como saúde, água, luz, internet. Mas, a reconstrução do Rio Grande do Sul também passa pela questão turística", disse Litro, lembrando que o estado é o segundo a recebe mais turistas estrangeiros.

"Gramado recebe 8 milhões de turistas por ano, o que gera emprego e renda para a população”, acrescentou.

Pesquisa
Sabino apresentou aos parlamentares o resultado de uma pesquisa do ministério que aponta o setor como a terceira atividade econômica mais importante do País, empatado com indústria e agropecuária, atrás apenas de tecnologia e comércio.

A pesquisa mostrou ainda que 63% dos entrevistados acham que o potencial de exploração do turismo como atividade econômica é alto ou muito alto; 79% acreditam que a exploração do turismo pelas cidades tem mais benefícios do que prejuízos; e 88% reconhecem a importância do turismo para incrementar emprego, renda e economia no País.

Balanço do Ministério
Na audiência, o ministro Celso Sabino também apresentou o balanço das atividades e as novas metas da pasta. Comemorou, por exemplo, os números que apontam forte retomada do setor após a pandemia de Covid-19. Foram quase R$ 190 bilhões em faturamento e 214 mil empregos criados em 2023, com alta expressiva em relação a 2022.

Segundo ele, a melhoria da imagem internacional do Brasil pode ser medida pelo terceiro lugar obtido no ranking de atrativos naturais elaborado pelo Fórum Econômico Mundial. O país ficou atrás apenas de Austrália e México. Bonito, no Mato Grosso do Sul, foi reconhecido como o primeiro destino do mundo em ecoturismo de carbono neutro.

Mais turistas
Nos quatro primeiros meses deste ano, 2,9 milhões de turistas estrangeiros estiveram no Brasil – aumento de 7% em relação ao mesmo período do ano passado. Eles gastaram cerca de R$ 10 bilhões, o maior volume registrado desde 1995.

Mas Sabino tem novas metas nesse quesito. “A meta que estava sendo calculada em 8 milhões de turistas estrangeiros para 2027 será posta no Plano Nacional de Turismo acima de 10 milhões. Nós não vamos sossegar enquanto o Brasil não ultrapassar essa marca de 10 milhões de turistas estrangeiros”, avisou.

Além do Plano Nacional de Turismo e do Plano de Adaptação Climática para o setor, que estão em fase final de elaboração, o ministro pretende entregar, ainda neste ano, 622 obras de infraestrutura turística, a partir de investimentos de R$ 594 milhões. Ele também prevê outros R$ 650 milhões para financiamentos por meio do Fundo Geral do Turismo.

Projetos na Câmara
O ministro pediu aos parlamentares a aprovação de alguns projetos:

  • o que aprimora a Lei Geral do Turismo ( Lei 11.771/08 ), atualmente em discussão no Senado;
  • o que ratifica o acordo que permite a inauguração de escritório regional da Organização Mundial do Turismo, ligada à ONU, no Rio de Janeiro para atender as Américas e o Caribe. Esse texto (MSC 729/23) está pronto para votação no Plenário da Câmara e tem parecer favorável do relator, deputado Marangoni (União-SP).

Já o deputado Paulo Litro pediu o apoio do ministro para ajudar na aprovação do projeto de lei complementar ( PLP 353/17 ), que trata do ressarcimento de impostos a turistas estrangeiros, também pronto para votação no Plenário.