Distribuidora Ribeiro
Banner Home
Apenas o essencial

Prefeitura de Ribeirão das Neves segue BH e retorna à fase inicial de flexibilização do comércio

O novo decreto passa a valer a partir desta terça-feira (30)

30/06/2020 08h59
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Além de Contagem, Ribeirão das Neves é mais uma cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte que vai retroceder na reabertura do comércio. O novo decreto passa a valer a partir desta terça-feira (30). Todo o comércio não essencial da cidade vai fechar as portas sob pena de multa e cassação do alvará de funcionamento. Além disso as escolas públicas e particulares deverão continuar fechadas. Já templos religiosos poderão funcionar com a capacidade máxima de 10% da lotação total, além do distanciamento de, no mínimo, 2 metros entre fiéis.

O transporte público também foi contemplado nas novas medidas. As empresas que atuam em Neves deverão fiscalizar os coletivos, verificando o número de passageiros que estão em pé, além de garantir que os usuários tenham acesso ao álcool gel. Supermercados, padarias, farmácias e postos de gasolina seguem funcionando normalmente.

O prefeito da cidade, Junynho Martins (PSC), explica a decisão de volta à fase inicial do decreto. “A capital fez isso na sexta-feira e como Neves é cidade dormitório, colada na capital, nós temos quer ter uma unidade. Ribeirão das Neves, Betim e Contagem têm que falar a mesma língua da capital, para juntos, vencermos essa pandemia e para que também não haja aglomeração nos leitos de saúde da capital”, disse. Segundo o prefeito a cidade tem mais de 400 infectados e 12 óbitos.

Ele falou também sobre a preocupação da cidade com o sistema prisional e afirmou que “provocou” o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), para prevenir a disseminação do coronavírus em meio aos presídios por meio da construção de um hospital de campanha dentro do presídio para atender os detentos.

O chefe do Executivo também diz se preocupar com os cerca de 5 mil funcionários que trabalham dentro destes locais. “Ribeirão das Neves não pode ficar mais uma vez com essa fatia que é de responsabilidade do governo do Estado”, afirmou. A cidade tem mais de 10 dez mil pessoas em situação carcerária.