Principal 2
novo super
Sete Lagoas
Novo Sete
Principal 6
Principal 4
Anuncio ramises
Principal 3
Principal 1
Principal 5
Impasse

Uber muda forma de pagamento e motoristas dizem que vão recusar mais corridas

Motoristas dizem que o valor pago pela plataforma torna inviável fazer corridas curtas

21/07/2021 11h01
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

O cancelamento de corridas por motoristas de transporte por aplicativo deve ficar ainda mais frequente a partir desta semana. A Uber, principal empresa do segmento, mudou a forma de pagamento da tarifa para os parceiros, o que irritou a Frente Nacional de Apoio Nacional ao Motorista Autônomo. 

O presidente da Frente, Paulo Xavier, explica que o valor não compensa e por isso motoristas estão recusando as corridas. “Não falta motorista, o que está acontecendo é que o motorista está recusando algumas corridas por conta da inviabilidade pelo valores que estão sendo ofertados pela plataforma. Desde dezembro do ano passado a Uber atualizou o algoritmo e agora ele não é mais por quilômetro rodado e sim tem um valor variado. Ela começa a ofertar um valor para o motorista, normalmente esse valor é baixo, o motorista recusa e ela vai tentando com outros motoristas que também vão recusando. Muitas vezes a corrida mínima paga 5 reais para o motorista para ele rodar 6, 7 quilômetros e o combustível hoje a gente sabe que está 6 reais e isso fica inviável.”

Xavier diz que constantes reuniões com a plataforma foram feitas, mas nada foi resolvido. “Apresentamos planilha, os custos para que elas façam os ajustes, mas são incansáveis tentativas. Desde a chegada ao Brasil nós nunca tivemos nenhum ajuste de preço para o motorista, na verdade tivemos ajuste para baixo. O dinâmico agora é fixo, então o que já estava ruim para o motorista piorou.”

Nas ruas, usuários sofrem com a demora para conseguir um Uber, como a vendedora Najara, que trabalha em uma loja perto do Detran da avenida João Pinheiro. “Está demorando muito, a gente vê muitas pessoas que vem no Detran e tentam pegar Uber aqui e ficam aqui dentro da loja onde eu trabalho por 20, 30 minutos porque não vem Uber. E quando aceita as corridas, passa uns minutos e cancelam. Eu também uso e quando preciso ir no Centro ou alguma coisa rápida não vem, é esperar 15 minutos por uma corrida e não vem.”

Vitor também é outro passageiro que não consegue mais Uber com facilidade. “Todos os horários [estão ruins], principalmente no horário de pico entre 17 e 18 horas. É uns 15, 20 minutos para achar um motorista.”

Em nota, a Uber disse que os ganhos de quem roda com o aplicativo foram os maiores desde o início do ano. Em Belo Horizonte, segundo a empresa, os motoristas que dirigiram cerca de 40 horas por semana ganharam, em média, R$ 1.130, o que dá uma média mensal superior ao rendimento de muitas outras categorias, segundo a empresa.

A Uber também alega que a demanda pelos serviços da empresa tem aumentando nas últimas semanas com o avanço da vacinação contra a covid e a reabertura gradual das atividades comerciais. Neste sentido, segundo a Uber, os passageiros estão tendo que esperar mais tempo, principalmente nos horários de pico. A empresa diz ainda que o aplicativo está chamando sem parar os parceiros, situação em que eles relatam se sentirem mais confortáveis para recusar viagens, pois sabem que virão outros chamados na sequência, possivelmente com ganhos maiores.