Agrotop Novo
Breno Campolina
Torneamento São Geraldo
Ramses
Clinica Dois
Ótica Pontual
Arnaldo Radiadores
Digital Graph
Espetbet dois
Loctem dois
Espetbet 6
Escritório Jucema
Espetbet 1
Casa da Arte
Espetbet três
Homeopatia São Lucas
Espetbet
Auto Rodas
Forte vidros dois
Cooperlíder Proteção Veicular
Carioca
Espetbet 4
Ótima
Quality Optcas
Dinheiro por Jóias
Chama!!!
Sicoob
Otica Santa Luzia
Após chuvas

Falta de água afeta 44 cidades da Grande BH e Região Central

Problemas estão relacionado à inundação do sistema de captação com cheias dos rios, falta de energia e captação assoreada

12/01/2022 09h04
Por: Redação

Por Itasat

A Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) divulgou nesta quarta-feira (12), que 44 cidades da Região Central e Região Metropolitana de Belo Horizonte enfrentam "inconsistências" no abastecimento de água. Os problemas foram causados pelas fortes chuvas que atingiram o estado. 

São elas: Alto Rio Doce, Antônio Dias, Arcos, Areado, Astolfo Dutra, Barão de Cocais, Barra Longa, Belo Vale, Brumadinho, Campos Altos, Conceição do Pará, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Coronel Fabriciano, Dom Cavati, Dom Silvério, Dona, Eusébia, Guaraciaba, Jaboticatubas, Marilândia, Mata Verde, Mateus Leme, Medina, Moeda, Nova União, Ouro Branco, Pedra Corrida, Periquito, Piranga, Porteirinha, Presidente Olegário, Rio Espera, Rio Piracicaba, Santa Bárbara do Tugúrio, Santa Maria de Itabira, Santana do Campestre, Santana do Paraíso, Santo Antônio do Munhuaçu, São Pedro do Suaçuí, São Pedro dos Ferros, Timóteo, Ubá, Vargem Alegre e Verdelândia.

Segundo a Copasa, a previsão de restabelecimento do abastecimento depende das condições meteorológicas. Na maioria das cidades, o problema está relacionado à inundação do sistema de captação, devido às cheias dos rios. Com isso, é necessário esperar o nível das águas abaixarem. Outros motivos são: falta de energia e captação assoreada, acúmulo de entulhos. 

Também foi divulgada uma previsão de normalização dos serviços em cada cidade. Como muitas das normalizações dependem de variáveis, como redução dos níveis das águas, falta de energia e assoreamento, a maioria dos municípios não tem previsão de ter o abastecimento de água regularizado.