Sicoob
Motociclista use capacete
Escritório Jucema
Ramses
Forte Vidros
Torneamento São Geraldo
IPTU PRORROGADO
Ótica Pontual
Otica Santa Luzia
Cooperlíder Proteção Veicular
Locmaqfer
Loctem
Evite Queimadas!
Casa da Arte
Dinheiro por Jóias
Almix
Ótima
Chama!!!
Cartão de Todos
Digital Graph
Arnaldo Radiadores
Helton Vidro Car
Ronaldo Cardans
Homeopatia São Lucas
Quality Ópticas
Auto Rodas
Breno Campolina
Vacinação

Baixa vacinação contra paralisia infantil preocupa autoridades e provoca novo alerta em Minas

Entre crianças de quatro anos de idade, Minas alcançou apenas uma cobertura de 60%

13/05/2022 09h09
Por: Redação

Por Itasat

Assim como Belo Horizonte, Minas Gerais não alcança a meta de vacinação contra a poliomielite - que é de 95% do público total - e leva órgãos a orientar pais e responsáveis sobre a importância da vacina. O Programa Nacional de Imunização recomenda a vacinação de crianças a partir de dois meses até menores de cinco anos de idade. 

“Minas não alcançou a meta de cobertura da vacina poliomielite  em 2021. A análise da cobertura em crianças com menos de um ano de idade, identificou a cobertura de 75%. E, em crianças com um ano de idade -  idade que é recomendado o reforço dessa vacina - ficou entre 67%”, disse a coordenadora estadual do programa de imunizações da Secretaria Estadual de Saúde Josiane Dias Gusmão. 

Já entre crianças de quatro anos de idade - quando é recomendada para o segundo reforço dessa vacina  -  Minas alcançou apenas uma cobertura de 60%. 

Vale destacar que o órgão de saúde estadual ainda não tem dados parciais sobre a imunização neste ano. 

No Brasil, atualmente, 500 mil crianças não foram vacinadas contra a poliomielite, conforme a Fiocruz.

Por conta disso, a Organização Pan-Americana de Saúde incluiu o Brasil na lista dos oito países da América Latina com alto risco do retorno da doença.

Josiane afirma que a Secretaria Estadual de Saúde realiza diversas campanhas para alertar a população sobre a importância da vacina.

“A vacina está disponibilizada nas unidades de saúde e os pais ou responsáveis devem levar as crianças para vacinar e manter o cartão de vacina atualizado. A melhor prevenção contra as doenças é por meio da vacinação para que não tenhamos o retorno de patologias que já não circulam mais no nosso estado”, disse.