Quality Ópticas
Casa da Arte
Chama!!!
Arnaldo Radiadores
Locmaqfer
Ótica Pontual
Sicoob
Ronaldo Cardans
Homeopatia São Lucas
Ramses
Escritório Jucema
Cooperlíder Proteção Veicular
IPTU PRORROGADO
Auto Rodas
Helton Vidro Car
Almix
Motociclista use capacete
Ótima
Evite Queimadas!
Dinheiro por Jóias
Forte Vidros
Breno Campolina
Cartão de Todos
Torneamento São Geraldo
Otica Santa Luzia
Loctem
Digital Graph
eclipse

América do Sul verá eclipse total que deixará a lua vermelha no domingo (15)

Eclipse lunar total ocorre duas vezes por ano, quando a Terra e os astros estão perfeitamente alinhados e a Lua está cheia

14/05/2022 10h15
Por: Redação

Por Itasat

Uma parte do planeta poderá assistir a um eclipse lunar total de domingo para segunda-feira, um fenômeno raro durante o qual o brilho do satélite diminui e progressivamente ganha uma cor acobreada. 

A ocultação da Lua pela sombra da Terra poderá ser observada na América do Sul e Central e na parte oriental da América do Norte. 

Também será percebida de regiões da Europa e África. 

O eclipse lunar total geralmente ocorre duas vezes por ano, quando o Sol, a Terra e a Lua estão perfeitamente alinhados e a Lua está cheia. À medida que mergulha na sombra da Terra, a Lua perde sua brancura. 

Mas ainda é visível porque os raios do sol, desviados pela Terra, continuam a alcançá-la através da "refração atmosférica", explica à AFP Florent Deleflie, do Observatório Paris-PSL. 

“Durante um eclipse, apenas a Terra pode iluminar a Lua através desse reenvio dos raios vermelhos”, acrescenta o astrônomo. O fenômeno pode ser visto a olho nu e com céu claro é extremamente fotogênico.

O eclipse durará cerca de cinco horas e em sua fase total – quando o astro será totalmente coberto pela sombra da Terra –, pouco mais de uma hora.

O próximo eclipse lunar total ocorrerá em novembro, em pleno Oceano Pacífico. 

Florent Deleflie lembra que os eclipses lunares permitiram demonstrar "desde a Antiguidade" que a Terra é redonda.

"Sobre o disco lunar, o limite entre a região da sombra e a parte iluminada pelo Sol é ligeiramente curva: é a projeção da curvatura da Terra", explica.