Escritório Jucema
Espetbet três
Ramses
Quality Ópticas
Otica Santa Luzia
Cooperlíder Proteção Veicular
Homeopatia São Lucas
Auto Rodas
Torneamento São Geraldo
Breno Campolina
Locmaqfer
Motociclista use capacete
Almix
Chama!!!
Loctem
Dinheiro por Jóias
Espetbet
Sicoob
Ótima
Casa da Arte
Ótica Pontual
Ronaldo Cardans
Espetbet dois
IPTU PRORROGADO
Digital Graph
Agrotop 3
Arnaldo Radiadores
VIOLÊNCIA

Procuradora é agredida por colega dentro de prefeitura em SP por processo contra mau comportamento

Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, é procuradora-geral em Registro (SP), e foi agredida por outro procurador dentro da prefeitura

22/06/2022 09h45
Por: Redação

Com Itasat

Uma procuradora-geral da prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, foi espancada por um colega de profissão nessa segunda-feira (20). A motivação teria sido um processo administrativo contra o homem por conta do comportamento dele no ambiente de trabalho. O caso aconteceu dentro da prefeitura.

A procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi agredida com socos e uma cotovelada pelo também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos. Após vários golpes, filmados por testemunhas na sala, a mulher ficou com o rosto muito ensanguentado.

Enquanto as agressões acontecem, a vítima tenta se defender e pede por socorro. Mesmo assim, ele continua a violência e ainda faz vários xingamentos contra a colega de trabalho. Outras mulheres tentaram contê-lo, mas sem sucesso.

Imagens feitas por pessoas que estavam na sala mostram parte da agressão. Vítima ficou com o rosto todo ensanguentado, e o agressor foi imediatamente suspenso do trabalho.

Em nota, a prefeitura de Registro repudiou os atos de violência do homem, e prestou solidariedade e apoio aos familiares da procuradora-geral Gabriela de Barros. A partir desta terça-feira (21), Demétrius Macedo está suspenso do trabalho com prejuízo no salário.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, subseção Registro, também emitiu nota de repúdio às cenas de violência, e confirmou que um ofício contra o agressor será representado na Comissão de Ética e Disciplina.