tia lili topo
Na mira

Suspeitos de estelionato são presos ao tentar aplicar golpe em idoso em Contagem

Polícia Civil já investiga empresa onde dupla trabalha por outros 16 crimes parecidos

13/01/2021 09h14
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Um homem, de 31 anos, e uma mulher, de 22, foram presos por suspeita de estelionato. A dupla foi detida em um cartório na cidade de Contagem, na Grande BH, quando tentavam induzir um idoso a assinar um contrato de empréstimo no valor de R$ 78 mil.

A filha do idoso foi quem desconfiou da situação, como conta a delegada Marina Monteiro de Castro, que é titular da 2ª Delegacia Sul.

“A filha da vítima teve a ajuda do gerente da conta da vítima. Quando essas pessoas que foram presas foram com a vítima na agência bancária para que ela fizesse o TED do valor de R$ 78 mil para a conta da empresa, o gerente ligou para a filha do titular da conta e a alertou sobre a situação. Ela pediu para que a transferência não fosse feita e o TED não foi realizado”, explicou a delegada.

Em seguida, a filha da vítima acionou a polícia, que conseguiu fazer a prisão. “A família noticiou que ele iria em um cartório da cidade da Região Metropolitana para reconhecer firma e assinar o contrato. Ele nem sabia que se tratava de um contrato de cessão de crédito. Ele achou que era um contrato de fidelidade, que a empresa devolveria esse dinheiro do empréstimo para o banco depois e sem ônus para ele”, esclareceu a delegada Marina.  

A empresa em que os dois presos trabalham já possui vários boletins de ocorrências por fraude e já está sendo investigada pela Polícia Civil por cerca de 16 crimes parecidos. As investigações apontam que os suspeitos solicitavam que a vítima realizasse o empréstimo bancário e transferisse o valor para a empresa. Em troca, a instituição pagaria ao banco o valor das parcelas e a pessoa que emprestou o nome receberia 10% referente ao valor referente ao empréstimo. Contudo, com o dinheiro na conta da empresa, os suspeitos sumiam e não cumpriam com o acordado.    

Suspeitos

Os suspeitos negam o crime e dizem que não mentiram para a vítima. "Em depoimento, eles falaram que têm um catálogo de possíveis clientes. Existem sistemas que são alimentados com dados do INSS e que permite que esses suspeitos liguem mesmo para a casa das pessoas. O apelo que a polícia faz é para que as pessoas tomem as precauções necessárias para evitar esse tipo de crime. A gente sabe que as vítimas de estelionato não tomam todas as precauções necessárias. Se você realmente estiver em um situação que precise fazer um empréstimo bancário, procure uma instituição conhecida e renomada, leia o contrato e faça toda a movimentação acompanhada de uma pessoa de confiança", alerta a delegada.