Principal 3
Principal 6
Principal 4
Principal 2
Prefeitura Sete Lagoas home
Principal 5
Principal 1
Reforço internaciona

Nacho Fernández é mais um meia gringo no Galo; relembre os outros entre fracassos e sucessos

Atlético soma passagens de 16 gringos no setor; Nacho será o 17º

18/02/2021 09h36
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Na foto: Servo Petkovic e argentinos Escudero e Dátalo são alguns dos gringos que atuaram pelo Galo

O Atlético foi ao mercado para reforçar o meio-campo. O escolhido é um dos principais jogadores da América Latina: Nacho Fernández, que deixou o River Plate-ARG, onde estava desde 2016. O atleta se despediu do clube milionário da capital argentina nessa quarta-feira (17) e é esperado em Belo Horizonte no início da próxima semana. O Galo ainda não oficializou a contratação, mas isso deve acontecer a qualquer momento.

Recorrer ao mercado sul-americano para reforçar o meio tem sido prática comum nos últimos anos. Atualmente, estão no Galo, além de Nacho, o argentino Zaracho, o equatoriano Alan Franco e o colombiano Dylan Borrero, ambos contratados em 2020. Zaracho, inclusive, foi a contratação mais cara do Atlético.

Na história, o Galo acumula 16 passagens de gringos no setor. Entre eles estão jogadores que foram decisivos e importantes para o clube, e outros que não vingaram. Não foram considerados, para o levantamento, jogadores que atuam apenas como volante.

Petkovic, Sérvia (2008)

Viveu sua passagem pelo Galo em 2008. Com a carreira já consolidada, foi anunciado como contratação de peso para o centenário do Atlético. Porém, não vingou. Foram cinco gols marcados em 32 partidas — nenhum título conquistado.

Escudero, Argentina (2012)

Chegou ao Galo em 2012 por empréstimo, junto ao Boca Juniors, da Argentina. Na apresentação, projetou um ano de conquistas. Foi importante no título do Campeonato Mineiro daquele ano, com assistências. O início promissor, no entanto, não engrenou. Com a chegada de Ronaldinho Gaúcho, perdeu ainda mais espaço. Em 40 jogos, marcou apenas 4 gols. Deixou o clube ao final do ano após o término do contrato. 

Dátalo, Argentina (2013-2016)

Foi contratado para reforçar o time campeão da Libertadores em 2013. Com a saída de Ronaldinho Gaúcho em 2014, ganhou espaço e foi um dos protagonistas do título da Copa do Brasil de 2014. No Galo, também ganhou a Recopa de 2014 e o Campeonato Mineiro de 2015. 

Cárdenas, Colômbia (2015)

Contrato após ser sensação na Libertadores de 2014, pelo Atlético Nacional-COL, marcando inclusive o gol que eliminou o Galo na competição, Cárdenas não vingou no Galo. Em 29 jogos, não marcou nenhum gol e decepcionou a torcida alvinegra. 

Cazares, Equador (2016-2020) 

Segundo maior artilheiro gringo da história do Galo, com 41 gols — atrás do atacante Lucas Pratto, que tem 42 — Cazares foi figura promissora do meio-campo do Atlético nos últimos anos. Mas deixou a desejar. Saiu do clube ano passado em negociação com o Corinthians. No período de Galo, disputou 205 jogos e conquistou o Campeonato Mineiro de 2017. 

Otero, Venezuela (2016-2020)

Otero chegou em 2016 e também deixou o Galo em 2020 para fechar com o Corinthians. O 'pé de chumbo', como é apelidado, destacou-se por chutes potentes. Entre os feitos no alvinegro, marcou um gol olímpico e outro de trás da linha do meio campo. Foram 135 jogos e 26 tentos anotados. Conquistou o Campeonato Mineiro de 2017.

Outros nomes

Também jogaram com a camisa do Galo: David Terans, Uruguai (2019); Tomás Andrade, Argentina (2018); Édison Méndez, Equador (2010); Prieto, Argentina (2005); Jonhatan Fabbro, Argentina (2003); Escobar, Colômbia (1996) e Baztarrica, Argentina (1945-1946).