Principal 4
Principal 3
Principal 6
Novo Sete
Principal 1
Sete Lagoas
Principal 5
Principal 2
Ações sociais

Atlético lança projeto Instituto Galo que dará assistência a ex-atletas e ex-funcionários do clube

Entre as várias ações sociais e ambientais, órgão irá auxiliar ídolos e colaboradores que passaram pelo Galo

09/06/2021 09h14
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

O Atlético lançou nesta terça-feira, em evento na sede de Lourdes, o Instituto Galo, que será responsável por ações sociais e ambientais. O projeto é uma das contrapartidas exigidas pela Prefeitura de Belo Horizonte para a construção da Arena MRV, futuro estádio do clube.

Dentre os objetivos do projeto está o ‘Galo Imortal’, que vai homenagear ex-jogadores e ex-funcionários que ajudaram a construir a história do Alvinegro. Para isso, o evento de lançamento do Instituto Galo contou com a presença de três ex-atletas: os atacantes Paulo Isidoro (com 399 jogos e 98 gols pelo clube nas décadas de 1970 e 1980), Ubaldo Miranda (marcou 135 gols em 274 partidas nas décadas de 1950 e 1960) e Marinho (defendeu o clube entre 2006 e 2007 e foi o artilheiro da Série B de 2006).

O primeiro ex-funcionário beneficiado foi Francisco da Silveira, o Chiquinho, que trabalhou por 53 anos no Departamento Técnico do Atlético. Ele também esteve presente no lançamento do Instituto Galo.

Todos eles receberam o cartão ‘Galo na Veia Imortal’, que conta com benefícios como visitas à Cidade do Galo e ao Centro de Experiências da Arena MRV, entre outros. Além disso, os ex-funcionários e os ex-atletas terão a vida socioeconômica mapeada pelo projeto para a detecção de alguma necessidade e a devida prestação de auxílio.

Paulo Isidoro, Ubaldo Miranda, Marinho e Chiquinho se emocionaram com a iniciativa. Serão beneficiados pelo projeto ex-jogadores com pelo menos 30 partidas com a camisa do Galo e ex-funcionários com mais de 15 anos de casa.

O presidente do Atlético, Sérgio Coelho, destacou que o Instituto Galo chega em momento importante para a sociedade, fortemente atingida pelos efeitos da pandemia da covid-19. "O Instituto Galo chega no momento mais adequado, para tentar amenizar um pouco o sofrimento das pessoas", disse.

Sérgio Coelho esclareceu que todos os recursos para as ações do Instituto Galo virão de incentivos fiscais, doações e do percentual definido sobre a renda da Arena MRV. “Nossos projetos serão sustentados com essas receitas", disse. "O Clube Atlético Mineiro não terá nenhum investimento no Instituto Galo", completou.

O CEO do Instituto Galo, Thiago Camargo, destacou a importância do projeto para não deixar ídolos do passado esquecidos, além da responsabilidade social com quem contribuiu com o clube. 

“Temos que ter respeito com a nossa história, valorizar o nosso legado. Essas pessoas fizeram história e assim devem ser tratadas, como verdadeiros heróis de conquistas que o clube teve até hoje”, afirmou.