novo super
Anuncio ramises
Principal 5
Principal 3
Principal 2
Sete Lagoas
Novo Sete
Principal 4
Principal 6
Principal 1
Ícone

80 anos de Ney Matogrosso são celebrados com filme, álbuns e biografia sobre o cantor

Aniversário do intérprete de sucessos como 'Sangue Latino' e 'Homem com H' rende diversos lançamentos

31/07/2021 09h16
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Neste domingo (1), Ney Matogrosso completa 80 anos com muitos motivos para comemorar. Além da carreira recheada de sucessos, Ney ganhou uma biografia escrita pelo jornalista Julio Maria, que já está disponível nas livrarias físicas e virtuais, editada pela Companhia das Letras. 

“Leitura emocionante, Julio Maria vai fundo no retrato do artista que marcou para sempre a vida brasileira. (...) O namoro com Cazuza, a força com que Ney assistiu à morte de tantos namorados e amigos pelo vírus da AIDS, as atuações em teatro na juventude e em cinema na maturidade, a dignidade e sabedoria de sua aproximação e chegada à velhice (que nele nunca parece combinar com esse nome), tudo no livro mostra um ser humano fascinante, que engrandece a percepção da nossa vida como sociedade”, escreveu Caetano Veloso a respeito do livro. 

Álbuns. Uma seleção com músicas raras do artista, intitulada “Ney 80”, chega às plataformas digitais em outubro. “Cante uma Canção de Amor”, de Odair José e Maxine, “Me Rói”, de Luhli e Lucina, “Último Drama”, de Mauro Kwitko, e “Tema de Maria”, de Reginaldo Faria e Paulo Mendonça, são algumas das pérolas da seleção. “Tema de Maria”, assim como “A Estrada Azul”, da mesma dupla, foi composta para a trilha sonora do filme “Pra Quem Fica... Tchau”, que estreou em 1971. Na ocasião, o cantor ainda assinava somente como Ney e não tinha intenção de se profissionalizar, trabalhando com artesanatos hippies.

Antes da pandemia do novo coronavírus, Ney estreou a turnê “Bloco na Rua”, de enorme repercussão, e atualmente trabalha em um novo disco de inéditas, batizado de “Nu Com a Minha Música”, em que interpreta canções de Caetano Veloso, Lenine, Raul Seixas, Roberto Carlos e Herbert Vianna. Um EP com quatro faixas será lançado neste domingo (1), nas plataformas digitais. 

O álbum completo vai apresentar, além da faixa-título, de Caetano Veloso, “Se Não For Amor, Eu Cegue”, de Lenine e Lula Queiroga, “Gita”, de Raul Seixas e Paulo Coelho, “Unicórnio”, de Silvio Rodríguez, “Estranha Toada”, de Martins e PC Silva, “Noturno”, de Vitor Ramil, “Sua Estupidez”, de Roberto e Erasmo Carlos, “Quase um Segundo”, de Herbert Vianna, “Sei dos Caminhos”, de Itamar Assumpção e Alice Ruiz, “Espumas ao Vento”, de Accioly Neto, “Xique-Xique”, de José Miguel Wisnik e Tom Zé, “Faz um Carnaval Comigo”, de Pedro Luís e Jade Baraldo, e “Boca”, de Felipe Rocha. 

Filme. Dirigido por Esmir Filho, o filme sobre a vida de Ney Matogrosso se chamará “Homem com H” e ainda procura um ator para interpretar o papel principal. A expectativa é que o longa-metragem seja rodado em 2022 e estreie no ano seguinte. É a primeira vez que a vida de Ney Matogrosso vai virar filme de ficção. Ele já foi tema dos documentários “Olho Nu”, dirigido em 2014 por Joel Pizzini, e “À Flor da Pele”, de Felipe Nepomuceno, que estreou em 2020. 

Conheça a nova música que Ney Matogrosso vai gravar

“Faz um Carnaval Comigo” (MPB, 2019) – Jade Baraldo e Pedro Luís

A sensualidade dita o ritmo de “Faz um Carnaval Comigo”, que reúne dois nomes de diferentes gerações. A catarinense Jade Baraldo, uma das revelações da música brasileira contemporânea, conta que se sentiu atraída “pelo frescor carnavalesco e a característica visceral” da letra de Pedro Luís. A canção é parte do projeto “Macro”, que uniu a música de Pedro Luís ao universo visual de Batman Zavareze, e rendeu um videoclipe com a presença dos compositores, que cantam em dueto. 

“Faz um Carnaval Comigo” é uma dessas preciosidades da música popular brasileira, com seus versos langorosos e cheios de lirismo, capazes de colocarem a delicadeza do sentimento amoroso no mesmo bojo do desejo carnal: “Faz um carnaval comigo/ Desfilando em meu umbigo/ Evolui em minha nuca/ Ela louca, eu maluca”. A melodia envolvente contribui para realçar esse impacto da composição.