Principal 3
Anuncio ramises
Principal 1
Principal 4
novo super
Principal 2
Principal 5
Principal 6
Granja de Freitas

Mulher morre esfaqueada após briga e facadas em abrigo de Belo Horizonte

Mulher morre esfaqueada após briga e facadas em abrigo de Belo Horizonte

13/01/2022 08h59
Por: Redação

Por Itasat

Uma mulher foi assassinada em uma brigada dentro de um abrigo da Prefeitura de Belo Horizonte, no bairro Granja de Freitas, região Leste da capital mineira. O crime será investigado pela Polícia civil.

As duas mulheres, que seriam garotas de programa, já tinham histórico de desafios e ameaças. A vítima tinha 40 anos e a suspeita, que foi presa, tem 34. Tudo teria começado com uma discussão fútil e a suspeita acertou uma facada no peito da vítima.

O aspirante Galdino, do 22º batalhão da Polícia Militar, conta que ao chegar ao local os militares já encontraram a vítima caída. A faca utilizada no crime foi jogada em cima de um telhado. O policial conta que as desavenças entre a vítima e a suspeita eram relacionados a programas. “A autora nos repassou que morava no abrigo há 4 meses e que elas já tinham algumas desavenças, inclusive em decorrência dessa questão supostamente ligada aos programas, elas já tinham tido outras discussões dessa natureza. O que nós levantamos é que autora tinha denunciado umas das filhas da vítima sobre um suposto furto que havia ocorrido durante um programa e isso aí desencadeou todos esses fatos.”

A suposta autora do crime tem um bebê de apenas sete meses, que foi encaminhada ao Conselho Tutelar. Segundo o aspirante Galdino, a mulher não teria informado nenhum familiar que poderia ficar com a criança.

Procurada, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que a Guarda Municipal estará por período integral e tempo indeterminado no abrigo. Ainda segundo a PBH, a Guarda Municipal já realiza o patrulhamento em passagens periódicas, feitas 24 horas por dia, em viaturas de quatro rodas e em motos no abrigo. 

Em nota, o município informou que a mulher atingida pela faca foi encaminhada imediatamente ao hospital João XXIII e que a Polícia Militar foram acionadas, assim como a Polícia Civil, que realizou perícia no local.

"Ambas as famílias já haviam sido incluídas no Programa Bolsa Moradia para terem um projeto de vida para além do acolhimento institucional oferecido pelo município. No entanto, apesar dos esforços da equipe para que acessassem o Programa, permaneceram no abrigo. O abrigo Granja de Freitas funciona, desde 1990, em uma estrutura na qual cada família tem sua própria unidade de moradia, uma ao lado da outra, como uma vila. Cada família conta com espaço de cozinha, banheiro e quarto, e os utensílios, móveis e eletrodomésticos que cada cômodo requer, sendo a maior parte pertences das próprias famílias. Para além do acolhimento, as famílias contam com atendimento feito por equipes compostas por assistentes sociais, psicólogos e educadores sociais. Ainda não foi possível identificar a necessidade de realocação das famílias", informou em nota.