Evite Queimadas!
Dinheiro por Jóias
Casa da Arte
Forte Vidros
Digital Graph
Ótima
Quality Ópticas
IPTU PRORROGADO
Motociclista use capacete
Loctem
Homeopatia São Lucas
Cooperlíder Proteção Veicular
Torneamento São Geraldo
Helton Vidro Car
Breno Campolina
Ótica Pontual
Chama!!!
Cartão de Todos
Locmaqfer
Almix
Ramses
Ronaldo Cardans
Auto Rodas
Arnaldo Radiadores
Sicoob
Otica Santa Luzia
Escritório Jucema
surto de covid

Covid-19: Coreia do Norte confirma primeiro surto causado pela subvariante ômicron

O líder norte coreano Kim Jong-un ordena controles de fronteira, medidas de isolamento e bloqueio de cidades

12/05/2022 11h03
Por: Redação

Por Itasat

A Coreia do Norte confirmou oficialmente nesta quinta-feira (12), noite de quarta (11), no Brasil, os primeiros casos de Covid-19 no país desde o começo da pandemia, há mais de dois anos.

O surto está ligado à subvariante BA.2 da ômicron, cepa mais transmissível do coronavírus e responsável por grandes picos da doença em vários países no começo deste ano. 

De acordo com a agência oficial norte coreana KCNA amostras coletadas de vários pacientes com febre em Pyongyang, no domingo, resultaram positivas a variante Omicron. 

O líder norte coreano Kim Jong-un ordenou controles de fronteira mais rígidos e medidas de isolamento e pediu aos cidadãos para conter completamente a propagação do vírus bloqueando, cuidadosamente, as cidades.

A agência oficial do país chamou a contaminação de "grave incidente de emergência nacional". Desde o começo da pandemia a Coréia do Norte não havia confirmado um único caso de coronavírus. 

Isolada e pobre a Coreia do Norte não importou vacinas contra o coronavírus embora preencha os critérios para se beneficiar do programa global de compartilhamento de imunizantes, o COVAX.

Não foram informados os números de casos detectados —nem se alguma morte chegou a ser registrada. A única informação é de que amostras de pessoas infectadas com o vírus foram coletadas no último domingo (8).

O relatório foi divulgado após reunião do Partido dos Trabalhadores, chefiada pelo líder norte-coreano, para discutir a pandemia. Kim ordenou que todas as cidades e condados do país "bloqueiem rigorosamente" as regiões para impedir a propagação do vírus e disse que o governo mobilizaria uma reserva de suprimentos médicos de emergência.

Após a notícia desta quinta, Seul disse que está disposta a fornecer assistência humanitária à Coreia do Norte —o presidente Yoon Suk-yeol assumiu no começo desta semana com acenos a Pyongyang. O país, que também sofreu com uma onda provocada pela ômicron, sempre manifestou dúvidas em relação às estatísticas sobre a doença no Norte.