Cooperlíder Proteção Veicular
Breno Campolina
Escritório Jucema
Agrotop 3
Ótima
Ronaldo Cardans
Digital Graph
Chama!!!
IPTU PRORROGADO
Espetbet
Sicoob
Ótica Pontual
Motociclista use capacete
Auto Rodas
Almix
Homeopatia São Lucas
Arnaldo Radiadores
Casa da Arte
Espetbet dois
Torneamento São Geraldo
Espetbet três
Quality Ópticas
Locmaqfer
Ramses
Dinheiro por Jóias
Loctem
Otica Santa Luzia
abusos de sanções

Brics: Xi Jinping critica "abuso" de sanções; Putin recrimina Ocidente

China tem a maior economia do bloco dos Brics

23/06/2022 12h49
Por: Redação

Com EBC

O presidente da China, Xi Jinping, criticou hoje (23), o que ele chamou de abuso das sanções internacionais, enquanto o presidente da Rússia, Vladimir Putin, recriminou o Ocidente por fomentar uma crise global, com os dois líderes pedindo maior cooperação dos Brics.

Xi pediu que Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (Brics) assumam a responsabilidade conferida por sua influência econômica e defendam um sistema internacional verdadeiramente multinacional, baseado na Organização das Nações Unidas (ONU).

"Temos que abandonar a mentalidade da Guerra Fria e bloquear o conflito e nos opor a sanções unilaterais --e ao abuso de sanções", disse Xi à cúpula dos Brics por meio de um tradutor.

"Nossa reunião de hoje vem em um momento crucial de escolha para o futuro da humanidade: como mercados emergentes-chave e países em desenvolvimento, os países dos Brics devem estar à altura de nossa responsabilidade", afirmou o líder chinês.

A China tem, de longe, a maior economia do bloco dos Brics, respondendo por mais de 70% do poder econômico coletivo de US$ 27,5 trilhões do grupo.

Putin, por sua vez, pediu o fortalecimento da cooperação dos Brics e alfinetou o Ocidente, que ele acusou de fomentar uma crise.

"Somente com base em uma cooperação honesta e mutuamente benéfica podemos procurar maneiras de sair da situação de crise que se desenvolveu na economia global devido às ações mal consideradas e egoístas de Estados individuais", disse Putin.

Ele acusou o Ocidente de "usar mecanismos financeiros" para "esconder seus próprios erros de política macroeconômica para o mundo inteiro".

Putin tem dito que as relações com a China estão em seu melhor momento e anunciou uma parceria estratégica com o país asiático destinada a combater a influência dos Estados Unidos.