Quality Optcas
Espetbet dois
Agrotop Novo
Arnaldo Radiadores
Torneamento São Geraldo
Espetbet 1
Dinheiro por Jóias
Homeopatia São Lucas
Otica Santa Luzia
Carioca
Forte vidros dois
Ronaldo Cardans
Ramses
Espetbet
Chama!!!
Sicoob
Breno Campolina
Ótica Pontual
Escritório Jucema
Cooperlíder Proteção Veicular
Clinica Dois
Espetbet três
Ótima
Espetbet 6
Loctem dois
Espetbet 4
Casa da Arte
Auto Rodas
Digital Graph
proibição

TSE mantém proibição de imagens do 7 de setembro na campanha de Bolsonaro

Antes do julgamento, os advogados da campanha de Bolsonaro pediram a liberação de imagens captadas após o desfile oficial e por meios próprios

14/09/2022 09h02
Por: Redação

Com Itasat

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, nesta terça-feira (13), manter a decisão individual do ministro Benedito Gonçalves que vetou o uso de imagens das celebrações do 7 de setembro na propaganda eleitoral do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

A liminar foi referendada por unanimidade. Os votos foram proferidos pelos ministros Raul Araújo, Sergio Banhos, Carlos Horbach, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e o presidente, Alexandre de Moraes.

A decisão do ministro foi proferida no último sábado (10), e motivada por uma ação da Coligação Brasil da Esperança, que apoia a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. A coligação alegou abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

A campanha da Soraya Thronicke (União) também contestou suposto favorecimento da candidatura nas festividades.

Ao julgar o pedido liminar, o ministro proibiu a campanha à reeleição de Bolsonaro de continuar utilizando imagens capturadas durante os eventos realizados em comemoração ao Bicentenário da Independência em Brasília e no Rio de Janeiro. Para Gonçalves, o uso feriu a isonomia entre os candidatos.

"O uso de imagens da celebração oficial na propaganda eleitoral é tendente a ferir a isonomia, pois utiliza a atuação do chefe de Estado, em ocasião inacessível a qualquer dos demais competidores", decidiu.

Antes do julgamento, os advogados da campanha de Bolsonaro pediram ao TSE a liberação de imagens captadas após o desfile oficial e por meios próprios. Segundo a defesa, o candidato saiu do palanque oficial, subiu em carro de som alugado por terceiros e tirou a faixa presidencial.