Agrotop Novo
Ótica Pontual
RR MÍDIA 3
Espetbet 1
Cooperlíder Proteção Veicular
Loc moral
Ramses
Espetbet
Espetbet 4
Sicoob
Ronaldo Cardans
Chama!!!
Loc moral 3
Breno Campolina
Carioca
Digital Graph
Clinica Dois
Torneamento São Geraldo
Arnaldo Radiadores
Espetbet três
Otica Santa Luzia
Loctem dois
Ótima
Escritório Jucema
Homeopatia São Lucas
Espetbet 6
Forte vidros dois
RR 2023 02
Espetbet dois
Auto Rodas
Agro loc
Câmara dos Deputados

Comissão aprova proposta que prevê comprovante de pagamento em papel durável

Antonio Augusto/Câmara dos Deputados Corrêa Filho: consumidor deve ter como comprovar futuramente os dados A Comissão de Desenvolvimento Econômic...

07/12/2022 21h30
Por: Redação
Fonte: Agência Câmara de Notícias
Corrêa Filho: consumidor deve ter como comprovar futuramente os dados - (Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados)
Corrêa Filho: consumidor deve ter como comprovar futuramente os dados - (Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados)

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços aprovou nesta quarta-feira (7) o projeto que obriga as empresas e bancos a emitir comprovantes ou cupons fiscais em papel que permita a durabilidade da impressão, desde que não sejam disponibilizados em formato eletrônico.

O descumprimento da nova regra sujeita o infrator às sanções administrativas previstas no Código de Defesa do Consumidor, como advertência, multa e suspensão temporária da atividade.

O Projeto de Lei 4382/19 é do deputado Mauro Nazif (PSB-RO), e foi relatado pelo deputado Eli Corrêa Filho (União-SP), que deu parecer favorável.

“Assiste razão o autor ao afirmar que devemos assegurar aos consumidores o direito de receber comprovantes com impressão de durabilidade de, no mínimo, cinco anos, a fim de poder comprovar futuramente os dados ali constantes”, disse Corrêa Filho.

Ele apresentou uma emenda para deixar o texto mais abrangente – a versão original proíbe a emissão de papel termossensível. A emenda também estabelece que a nova regra não precisará ser seguida na declaração de quitação de débitos enviada anualmente aos consumidores. A declaração está prevista nas leis 12.007/09 e 13.294/16.

Tramitação
O PL 4382/19 será analisado agora pelas comissões de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania.  A palavra final será do Plenário da Câmara, já que ele perdeu o caráter conclusivo após ter sido rejeitado na primeira comissão de mérito (Defesa do Consumidor).

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei