Distribuidora Ribeiro
Banner Home
Na fila

Mattos fala de ‘ânsia’ no Galo para ser campeão brasileiro: ‘Se não for agora, terá que ser em 2021 ou 2022'

Ao mesmo tempo, diretor de futebol do Atlético precisa conter os pedidos do técnico Jorge Sampaoli na montagem do elenco

16/09/2020 10h01
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

Na fila do Campeonato Brasileiro desde 1971, quando conquistou o título nacional pela primeira e única vez, o Atlético tem como objetivo de curtíssimo prazo ser campeão brasileiro novamente. O desejo foi escancarado pelo diretor de futebol, Alexandre Mattos, nesta terça-feira, ao comentar sobre a expectativa criada em torno do clube com a contratação do técnico Jorge Sampaoli e no atendimento aos pedidos de reforços feitos pelo treinador, o último bastante contestado pela torcida alvinegra: o meia Thiago Neves.

Mattos disse que há no Atlético uma “ânsia” por “décadas sem um título brasileiro”. A declaração foi dada pelo diretor durante o lançamento de seu livro “Tudo começa com um sonho”, em São Paulo. Na visão do dirigente, o Galo terá que levantar o troféu do Brasileirão neste ano ou nas próximas temporadas.

“O Atlético precisa ser campeão brasileiro. Se não for agora, vai ter que ser no ano que vem ou no outro ano. Vai ter que ser porque é um clube gigante que tem que ser campeão brasileiro. E vai ser”, garantiu.

A “ânsia” do Galo em ser campeão brasileiro também passa por atender aos pedidos de Sampaoli. Contando com a ajuda do empresário Rubens Menin, o clube já gastou mais de R$ 100 milhões em contratações solicitadas pelo treinador. Para que os investimentos não ficassem ainda mais altos, Mattos comentou o papel da diretoria atleticana em conter os anseios do técnico. 

“Você cria essa expectativa e quer atender todos os desejos. Mas aí você começa a entender o ambiente. Olha, Jorge, isso ficou caro demais, não dá. Jorge, isso criou uma repercussão que vai atingir aqui dentro, não vai dar. Jorge, esse caminho vai interferir diretamente em um jogador que você trouxe, e nós não queremos esse conflito. Esse papo acontece”, frisou.

Neste contexto de formar um elenco competitivo para ser campeão brasileiro, Sampaoli pede, há algum tempo, para a diretoria do Atlético um meia e um atacante. Foi diante da saída de Thiago Neves do Grêmio que o treinador viu a possibilidade de contratação do ex-cruzeirense para ser o camisa 10.

“Especificamente nesse papo (Thiago Neves) o foco foi no desejo do treinador, uma possibilidade financeira ímpar para o Atlético, o desejo do Thiago, que nem pensou duas vezes e falou que queria vir correndo”, contou Mattos.

Porém, o diretor atleticano pediu para que o episódio Thiago Neves não atrapalhe a caminhada do Galo no Brasilerão, onde o time é o vice-líder. “Fica mais um aprendizado. O nosso projeto de sequência é que tem que ser maior do que qualquer coisa que ficou para trás”, finalizou.