Torneamento São Geraldo
Loctem
Dinheiro por Jóias
Cooperlíder Proteção Veicular
Ótima
Evite Queimadas!
Arnaldo Radiadores
Quality Ópticas
Cartão de Todos
Sicoob
Otica Santa Luzia
Motociclista use capacete
Almix
Ótica Pontual
Auto Rodas
Digital Graph
Breno Campolina
Ramses
Homeopatia São Lucas
Chama!!!
Casa da Arte
Helton Vidro Car
Locmaqfer
Escritório Jucema
Forte Vidros
IPTU PRORROGADO
Ronaldo Cardans
delivery

Motorista de aplicativo suspeito de fazer delivery de drogas é preso

PM apreendeu ecstasy, microtubos de LSD, buchas de maconha, uma porção de skank e uma porção de MDMA

12/05/2022 08h45
Por: Redação

Por Itasat

Motorista de aplicativos de 24 anos é preso por militares do Batalhão Rotam com drogas escondidas em casa que seriam utilizadas em serviço de delivery para traficantes do bairro Novo Aarão Reis, na região Norte de Belo Horizonte. Na residência do rapaz, a Polícia Militar (PM) encontrou 51 comprimidos de ecstasy, 22 microtubos de LSD, seis buchas de maconha, uma porção de skank e uma porção de MDMA.   

A ocorrência começou no bairro São Gabriel, na região Nordeste da capital, quando policiais se depararam com um grupo de homens em atitude suspeita durante uma operação contra o tráfico de drogas. Eles saíram correndo em direção ao Córrego do Onça. Um desses homens, no caso o motorista, foi capturado no momento em que entrava em um Gol de cor preta. Durante a abordagem, os militares encontraram uma réplica de arma de fogo escondida debaixo do banco do motorista e uma bucha de maconha. 

O suspeito de 24 anos estava sem documentação e disse que morava no bairro Novo Aarão Reis. A PM foi até a suposta casa dele e lá descobriu que a residência na verdade era do padrasto dele. Esse padrasto então contou aos militares o verdadeiro endereço do homem. 

Chegando na verdadeira casa do suspeito, na rua C, os policiais encontraram as drogas sobre uma cômoda e R$ 4 mil oriundos do tráfico escondidos no bolso de uma jaqueta. Moradores do bairro, ao perceberem a movimentação policial na residência, contaram aos militares que o preso se passava por motorista de aplicativos e utilizava o veículo cadastrado na plataforma para fazer entregas de drogas para os traficantes da região.