Ramses de castro
Governador do estado

Primeiras doses da vacina chinesa chegam a São Paulo em até uma semana, diz Doria

'Chega a ser inacreditável que tenhamos um País onde o presidente não torça pela salvação das pessoas', diz governador

27/10/2020 10h49
Por: Ricardo Chaves

Por Itasat

As primeiras 6 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac chegam em até uma semana em São Paulo. O governo paulistano também conta com a liberação da Anvisa para receber insumos para produzir outras 40 milhões de doses do imunizante, em fase de testes contra o novo coronavírus, pelo Instituto Butantã.

Em coletiva de imprensa, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a comentar a postura do presidente Jair Bolsonaro a respeito da vacinação contra covid-19 no País. Ele disse que são os governadores que estão salvando vidas na pandemia do novo coronavírus e que gostaria que o presidente tivesse "outro comportamento".

Doria negou haver, da parte dele, uma guerra pela vacina. "Chega a ser inacreditável que tenhamos um País onde o presidente da República não torça pela salvação das pessoas", criticou. "Parece até que torce pelo contrário, porque, se torcesse a favor, torceria por todas as vacinas de maneira eficaz e mediante autorização da Anvisa", alegou. "Isso seria uma visão correta, que se esperaria de um líder no Brasil, não quero politizar esse tema."

Ele comentou sobre os ataques que a pesquisa com a vacina Coronavac, feita pela empresa chinesa Sinovac e testada no Brasil com coordenação do Instituto Butantã. "Não me parece nem justo, nem correto, nem uma posição humanitária. E lamento que alguns membros do governo federal ainda adotem essa postura lamentável."

Doria ainda pediu união entre Estados e governo federal e solicitou uma reunião do presidente com os governadores, em Brasília. "Diante de uma pandemia, nós deveríamos ter o País unido", comentou. Em outro momento, afirmou que "gostaria de ter outro comportamento do presidente Bolsonaro."